quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Despedida...

"Se as águas do mar da vida, quiserem te afogar
Segura na mão de Deus e vai
Se as tristezas desta lida, quiserem te sufocar
Segura na mão de Deus e vai


Segura na mão de Deus, segura na mão de Deus
Pois ela, ela te sustentará
Não temas, segue adiante, e não olhes para trás
Segura na mão de Deus e vai


Se a jornada é pesada, e te cansa a caminhada
Segura na mão de Deus e vai
Orando, jejuando, confessando e perdoando
Segura na mão de Deus e vai


O Espírito do Senhor, sempre nos conduzirá
Segura na mão de Deus e vai
Jesus Cristo prometeu e jamais nos deixará
Segura na mão de Deus e vai"


Foi a única coisa que consegui pensar a caminho de Ituberá, pra me despedir de você, Tia Lucia
E foi a única coisa que consegui fazer: segurar na mão de Deus


PAZ

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Era uma vez IV

Era uma vez...


... uma criança muito sonhadora.
Vivia na varanda olhando o céu e pensando em um dia voar
Um belo dia ganhou passagens e um guia 4Rodas
E nunca mais voltou naquela varanda...



...E foi feliz para sempre...

domingo, 14 de novembro de 2010

Era uma vez III

Era uma vez...


... uma menina muito amada.
Cantava, sorria, divertia-se e comemorava tudo.
Um belo dia perdeu o coração para alguém!
E já não era mais tão amada assim...


... E não foi feliz para sempre...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Era uma vez II

Era uma vez...

 
... uma menina muito feia.
Era feia mesmo, de rachar espelho.
Um belo dia ouviu um "fiu-fiu"!
E já não era mais tão feia assim...


... E foi feliz para sempre...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Era uma vez I

Era uma vez...


... uma menina muito carinhosa.
Por todos os lados distribuia beijos, abraços e sorrisos.
Um belo dia, pegou a gripe H1N1 e morreu.


... E foi feliz para sempre... 

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Nota

E os dias andavam turvos,
E as cores um tanto opacas...
E os caminhos cheios de tropeços,
E os olhos um tanto cansados!

Que maravilha que é trocar os óculos!


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O avesso das notícias do interior



Retorno

Corre-corre
Vai-e-vem
Entre carros, motos, caminhões
Olhos acostumados a reparar
Hoje observam rostos pálidos e apressados

Corre-corre
Vai-e-vem
Entre idas, vindas e voltas
Buzinas, luzes, cores, multidões
Passo ligeiro para não atrasar

Corre-corre
Vai-e-vem
Entre caminhos, ruas, avenidas
O corpo cansado
Nada... Nada? Nada!

Ah! Que saudade do barulho sincero dos grilos...

*Foto daqui

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Meu Mundo


Conforto alucinante, tranquilidade na clareira do caos
O ponteiro, ele rodou mais rápido no mesmo relógio de ontem
O que as horas guardam nos espaços do contra-tempo?
A mulher?

Mulheres sombras bonitas e o sol
Dos desejos dos tios e dos avós
Muitas crianças bonitas chorando
E o desejo, o desejo
Os desejos erros
E o desejo, o desejo
O desejo meigo

O desejo é um tempo parado
É quando se trocam as datas dos bichos e das flores
É quando aumenta a rachadura da velha parede
É quando se vira a folha, a folha da história
É quando se pinta um fio branco na cabeleira preta
É quando se endurece o rastro de sorriso
No canto dos olhos

Eu sei que a viagem é longa
A voz vai e vem
Você tá aí?
Você tá aí?
Ei, você está aí?
Vontade de abraçar o infinito...

(Trecho da música "Meu Mundo" de Otto)
Foto daqui

domingo, 5 de setembro de 2010

Poema da Prosperidade


Nem a tristeza, nem a desilusão;
Nem a incerteza, nem a solidão;
Nada me impedirá de sorrir.
Nem o medo, nem a depressão;
Por mais que sofra o meu coração,
Nada me impedirá de sonhar.
Nem o desespero, nem a descrença;
Muito menos o ódio ou alguma ofensa;
Nada me impedirá de viver.
Em meio às trevas, entre os espinhos;
Nas tempestades e nos descaminhos;
Nada me impedirá de crer em Deus.
Mesmo errando e aprendendo,
Tudo me será favorável,
Tudo me será necessário,
Pra que eu possa sempre evoluir,
Perseverar, servir, cantar,
Agradecer, perdoar, recomeçar...
Quero viver o dia de hoje
Como se fosse o primeiro,
Como se fosse o último,
Como se fosse o único.
Quero viver o momento de agora
Como se ainda fosse cedo,
Como se nunca fosse tarde.
Quero manter o meu otimismo,
Conservar o meu equilíbrio
Fortalecer a minha esperança,
Recompor as minhas energias
Para prosperar na minha missão
E viver alegre todos os dias.
Quero caminhar na certeza de chegar;
Quero buscar na certeza de alcançar;
Quero lutar na certeza de vencer;
Quero saber esperar para poder realizar
Os ideais do meu ser.
Enfim,
Quero dar o máximo de mim
Para viver intensa e maravilhosamente
Todos os dias da minha vida.


(Poema da Prosperidade - Luizinho Bastos)
*Foto daqui

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

IMPERDÍVEL!



Lá vou eu buscar os meus exemplares devidamente autografados!
Nos vemos lá!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Singelo...

video

... e sábio!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Gostei da música!


"Near a tree by a river
There's a hole in the ground
Where an old man of Aran
Goes around and around
And his mind is a beacon
In the veil of the night
For a strange kind of fashion
There's a wrong and a right
But he'll never, never fight over you"


*The Riddle - Gigi d'Agostino - Vídeo de Animated Shorts

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Achados

"A evolução da espécie humana é, em parte, baseada na capacidade de raciocínio. No entanto, a não execução daquilo que se pensa não o torna diferente dos outros homens.
A união do pensamento com a atitude, a capacidade de realizar, permite que o homem adquira o poder de decidir, de traçar metas, de cumprir objetivos, de por em prática tudo aquilo que se deseja, que se tem vontade.
'Penso, logo existo'. Mas pensar somente não basta. São as realizações atravéz do trabalho, da determinação, que trazem o reconhecimento dos seus méritos. É o existir."


Achei esse texto em um caderno velho de 1999, entre os meus papeis guardados. Sei lá porque escrevi isso, mas achei oportuno. Apesar de a redação ser "fraquinha", a mensagem encaixa certinho no momento. Mais uma vez, tirando do papel aquilo que deu na telha!

sábado, 7 de agosto de 2010

Direto do Twitter

Pra vocês, os #minicontos que tenho escrito:

- Já havia comido tudo q podia, mas ainda tinha vontade. Foi até o banheiro. Pôs o dedo na garganta. Ali estava o último #chocolate #miniconto

- Insonia. Vaga pela casa. Uma vontade q não controla. Abre a porta e a luz acende. Aquela #carne fria caberia no seu pão francês? #miniconto

- Chegou para jantar. Seria o seu 1o encontro. Uma bebida pra relaxar. Prato servido. Mas aquilo não era #carne. Era massa cinzenta #miniconto

- Levava uma vida exaustiva. A casa vivia fechada. O pano vivia à mão. Não podia conviver com #poeira, mas podia com a solidão. #miniconto

- Então, era aquela a mágica da vida? Pendurado pelos pés e ainda sujo de sangue, chorava. Esfregou os olhos. Não, não era #sonho. #miniconto

Vem mais por aí. Cada palavra acompanhada de # indica o tema do miniconto... São sempre 140 caracteres!
Haja inspiração!

domingo, 1 de agosto de 2010

Oh! Dúvida cruel...

Pra direita: cidade________________Pra esquerda: campo

Por qualquer um: futuro

E agora?


*Foto
daqui

domingo, 25 de julho de 2010

Parabéns ao blog do Chorik


Os posts de hoje são aqui, aqui e aqui.

Meu coração também comemora este encontro!

Super Beijo no amigo Chorik!



*Foto daqui

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Eu queria que você viesse...


Eu queria que você viesse
Penso tanto que quase acontece
Porém se eu decidir não me enganar assim
Talvez o meu pranto tenha fim

Se você ouvisse minha prece
Não quisesse me ver tão aflita
Sonhar não custa nada eu quero tanto ainda
Grato te daria uma saliva

Junto com você a vida inteira
Nosso 3x4 na carteira
Vendo a lua a meia luz e meia
Rogo que me faça uma visita

Eu sonho tanto
Porque tanto te amo assim
Meu sonho é santo
Porque traz você pra mim

Onde caminhando se passou
Sigo a minha estrada sigo o amor
Justo com você a vida inteira
Na sala, no quarto, na cadeira


(Eu queria que você viesse - Marisa Monte e Carlinhos Brown)
*Foto: Luciano Malanski

terça-feira, 20 de julho de 2010

Celebrando a amizade


* Foto tirada dia 18/07/2010 - Bigas - Por Bernardo Guimarães

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Coisas de escola que eu nunca esqueci


1) Eu, tu, eles, nós, vós, eles
2) Análise Morfológica: vendaval: substantivo, simples, singular, masculino, derivado, trissílabo, oxítono...
3) Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão (que já não é planeta)
4) Reino, Filo, Classe, Ordem, Família, Genero, Espécie
5) A, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, tras
6) ΔV= ΔS / Δt
7) √-a ∉ R
8) pH maior que 7, básico; pH = 7, neutro; pH menor que 7, ácido
9) Toda proparoxítona é acentuada
10) Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço
11) Tudo é relativo e portanto, depende do ponto de vista do observador.
12) Para toda ação existe uma reação de mesma força e intensidade porém com sentidos opostos
13) Acre - Rio Branco, Rondonia - Porto Velho, Roraima - Boa Vista
14) Antes de P e B só se usa M
15) Nunca bater de cinto no coleguinha para não parar na diretoria...

* Foto daqui

terça-feira, 13 de julho de 2010

A Prisão dos cachorros

Texto publicado pelo jornal A TARDE de domingo (11/07/2010), escrito por Malu Fontes - jornalista, doutora em comunicação e cultura e professora da Facom-UFBA:

"No fim da tarde da ultima quarta-feira, uma cena insólita era exibida por alguns dos telejornais sensacionalistas nacionais do fim de tarde. Carros de Corpo de Bombeiros, dezenas de viaturas, uma multidão de policiais e um mar de gente aglomerava-se em frente a uma casa de classe média na cidade de Vespasiano, nas imediações de Belo Horizonte.
Os bombeiros e a Polícia esestavam no local para, antes de qualquer coisa aprreender uma matilha composta por 10 rottweilers e um vira-latas. Os cachorros eram 'acusados' de ter devorado, para eliminar provas, após o esquartejamento, o corpo de Eliza Samudio, amante do goleiro Bruno, do Flamengo, acusado de matá-la para livrar-se da assunção de uma paternidade indesejada de um bebê de quatro meses.
Sim, os cachorros foram presos diante das câmeras, numa espécie de narrativa nonsense que nem mesmo em seus mais delirantes arroubos de criatividade os roteiristas de cenas bárbaras de Jogos Mortais poderiam propor, sob o risco de criarem algo impossível de ser crível em qualquer pacto de leitura do espectador.
Nem mesmo nas cenas mais violentas das obras primas de Quentin Tarantino, como Pulp Fiction, seria crível que um grupo de homens desses que têm mãe, filhos, família, emprego e nenhum diagnóstico de transtorno mental, atirasse pedaços de carne humana fresca a cães de guarda domésticos e concretassem ossos sob o piso da casa onde vive a matilha, pertencente a um ex-policial civil. Tudo isso para construir a tese de que não há crime sem cadáver.

Jogos Mortais

Voltando cerca de uma semana no tempo dos telejornais, lá estão as cenas em que o mesmo goleiro Bruno ao voltar aos treinos no Flamengo, se mostra sorridente e descontraído para a imprensa, a quem diz que espera que a amante, ex-amante ou o que quer que Eliza tenha sido em sua vida, reapareça logo para esclarecer o mal entendido criado pelo desaparecimento. Sabe-se, agora, que ele sabia mais do que ninguém que a moça jamais apareceria e sabia por quais razões. E mesmo assim, sorria?
Para o circo ficar completo, só falta alguma entidade de defesa dos animais usar um habeas corpus para libertar os cães, afinal foram condenados sem direito a julgamento.
Na história recente da crônica policial, jornalística e televisiva brasileira o que não faltam são casos em que o telespectador fica boquiaberto enquanto profissionais de imprensa de todos os quilates narram os detalhes mais sórdidos. Os casos Richthofen, Eloá, Nardoni, João Hélio, o menino das agulhas, a procuradora que torturava a filha adotada e, recentemente, o caso Mércia. Os elementos iniciais do cenário da morte de Eliza, no entanto, são insuperáveis. Começam com narrativas de orgias sexuais do tipo em que constam elementos como anões, jumentos (sim, os asnos mesmo), ex-BBBs e essa categoria difusa que se autointitula genericamente como modelo, e terminam com 10 rottweilers acusados de comer um ser humano. Nada mais surreal do que o contido Paulo Renato, repórter da Globo, narrando no Jornal Nacional como os matadores de Eliza teriam atirado suas mãos decepadas para os cachorros. Jogos Mortais deveria reividicar censura livre no Brasil

Micro-ondas

Independente do desfecho do episódio, o fato é que ele já produziu detalhes inesquecíveis para os telespectadores. O caso é de uma narrativa tão grotesca que parecem sobrar elementos sordidos, em se tratando de uma istória só. Para além de se tratar de mais uma contribuição abjeta para a espiral incessante da violência cometida contra a mulher no Brasil, há de tudo neste caso. Eliza foi abandonada pela mães ainda bebê, sob a alegação de que o pai era um agressor contumaz. Com o desaparecimento da moça anunciado na mídia, a mãe volta à trama, chorosa, implorando pela guarda do neto, o bebê objeto da tragédia da filha. A guarda provisória está com o avô que, como se não bastassem todos os demais dados dessa história já vindos à tona, apareceu na imprensa esta semana como acusado deo crime de estupro contra uma menina de 10 anos, no Paraná.
Em meio a tudo isso e às negativas de Bruno, o advogado dos amigos do goleiro acusados de participação no crime afirmava acertivo: 'Vou desmontar esse depoimento. Um cachorro nõa come 20 quilos de carne. E só se Macarrão fosse estúpido para levar o corpo para esconder em Minas, com tantos microondas no Rio'. Para quem não sabe, microondas são pilhas de pneus onde, nos morros, os traficantes queimam o corpo de suas vítimas para eliminar provas. Argumento bem fundamentado é assim. Macarrão, Luis Henrique Romão, o amigo-empregado de Bruno, é um personagem à parte, um tipo naturalíssimo na rotina doméstica de todo novo rico e emergente. É uma mistura de empregado, escravo de luxo, puxa-saco e capitão do mato. Faz de tudo, de captação de gostosonas para as orgias à assunção da culpa pelas coisas indizíveis feitas pelo patrão. É a versão vulgarizada e adaptada de eminência parda para pagodeiros, jogadores de futebol, políticos corruptos, estrelas drogaditas e emergentes e decadentes em geral."

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Querer

Eu só queria que você pudesse enxergar
Que eu queria tudo, menos deixar
Eu só queria que você pudesse entender
Que eu queria tudo, menos perder
Eu só queria que você pudesse sentir
Que eu queria tudo, menos partir
Eu só queria que você pudesse pressupor
Que eu queria tudo, menos dor

Eu só queria poder esquecer
Que amei você sem querer
* Foto minha - Dia de chuva - junho 2010.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

São João


Coloquei o vestido caipira no varal pra tomar um ar. Esqueci, propositadamente, ele lá. Este ano, São João não passou por aqui...

* Foto minha: caipira no varal - Nilo Peçanha - Junho, 2009

terça-feira, 22 de junho de 2010

O sonho, a mensagem de Maria

Essa noite sonhei que estava em uma escola, participando de algum evento multidisciplinar. Muitas atividades e dinâmicas que deixaram um clima gostoso entre todos que participavam do evento. Ao final, saímos da sala todos juntos e, qual não foi minha surpresa quando EU, e somente eu, vi Maria Sampaio a me esperar na passagem. Estava de branco, óculos engraçados, cabelos curtos que formavam pequenas ondas entre fios brancos e castanhos-avermelhados. Sorriu, deu uma piscadela e acenou um "legal", como se desse notícia. Na mão, segurava um fio de nylon e eu, mesmo seguindo o fluxo dos colegas, fui acompanhando com o olhar até onde ia aquele fio. Lá no alto, na ponta, tinha uma pipa laranja (ou seria um balão de São João?!) com diversos objetos pendurados: uma pulseira de acrílico de casco de tartaruga, um chaveiro de bolinhas roxas, um controle remoto, uma tampa de lente de máquina fotográfica, uma tiara de cabelo dourada, chaves soltas e alguns anéis de prata e ouro. Fui vendo tudo e antes de ela sumir sorrindo, reparei que usava as meias coloridas. Sorri de volta. Acordei com lágrimas nos olhos...
Alguém reconhece esses objetos? Se reconhecerem aviso: estão lá na pipa de Maria!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Percebendo tudo...

... e reparando nos detalhes

sábado, 5 de junho de 2010

Reservo me

Reservo-me o direito de te amar calado
Reservo-me o direito de te amar
Reservo-me o direito de te
Reservo-me o direito de
Reservo-me o direito
Reservo-me o
Reservo-me
Reservo.

(Reservo me - Bruno Aragão)

* Para escutar essa e outras músicas, clique no título e vá direto playlist.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

domingo, 23 de maio de 2010

Poema do Menino Jesus


Num meio-dia de fim de primavera eu tive um sonho como uma fotografia: eu vi Jesus Cristo descer à Terra.
Ele veio pela encosta de um monte, mas era outra vez menino, a correr e a rolar-se pela erva, a arrancar flores para deitar fora, e a rir de modo a ouvir-se de longe.
Ele tinha fugido do céu. Era nosso demais pra fingir-se de Segunda pessoa da Trindade.
Um dia que DEUS estava dormindo e o Espírito Santo andava a voar, Ele foi até a caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro Ele fez com que ninguém soubesse que Ele tinha fugido; com o segundo Ele se criou eternamente humano e menino; e com o terceiro Ele criou um Cristo eternamente na cruz e deixou-o pregado na cruz que há no céu e serve de modelo às outras.
Depois Ele fugiu para o Sol e desceu pelo primeiro raio que apanhou.
Hoje Ele vive na minha aldeia, comigo. É uma criança bonita, de riso natural.
Limpa o nariz com o braço direito, chapinha nas poças d'água, colhe as flores, gosta delas, esquece.
Atira pedras aos burros, colhe as frutas nos pomares, e foge a chorar e a gritar dos cães.
Só porque sabe que elas não gostam, e toda gente acha graça, Ele corre atrás das raparigas que levam as bilhas na cabeça e levanta-lhes a saia.
A mim, Ele me ensinou tudo. Ele me ensinou a olhar para as coisas. Ele me aponta todas as cores que há nas flores e me mostra como as pedras são engraçadas quando a gente as tem na mão e olha devagar para elas.
Damo-nos tão bem um com o outro na companhia de tudo que nunca pensamos um no outro. Vivemos juntos os dois com um acordo íntimo, como a mão direita e a esquerda.
Ao anoitecer nós brincamos as cinco pedrinhas no degrau da porta de casa. Graves, como convém a um DEUS e a um poeta. Como se cada pedra fosse todo o Universo e fosse por isso um perigo muito grande deixá-la cair no chão.
Depois eu lhe conto histórias das coisas só dos homens. E Ele sorri, porque tudo é incrível. Ele ri dos reis e dos que não são reis. E tem pena de ouvir falar das guerras e dos comércios.
Depois Ele adormece e eu o levo no colo para dentro da minha casa, deito-o na minha cama, despindo-o lentamente, como seguindo um ritual todo humano e todo materno até Ele estar nu.
Ele dorme dentro da minha alma. Às vezes Ele acorda de noite, brinca com meus sonhos. Vira uns de pena pro ar, põe uns por cima dos outros, e bate palmas, sozinho, sorrindo para os meus sonhos.
Quando eu morrer, Filhinho, seja eu a criança, o mais pequeno, pega-me Tu ao colo, leva-me para dentro a Tua casa. Deita-me na tua cama. Despe o meu ser, cansado e humano. Conta-me histórias caso eu acorde para eu tornar a adormecer, e dá-me sonhos Teus para eu brincar.

Fernando Pessoa

*Foto: Luciano Malanski

domingo, 2 de maio de 2010

terça-feira, 27 de abril de 2010

Judite é mesmo linda


Alguma dúvida de que é sem limites e mágico???
Pra mim, nenhuma dúvida!
Quem viu Judite vai concordar!
Incrível!
*Foto: Edu O. em Judite quer chorar mas não consegue - Sesc Pelourinho - 24/04/10 - por Luli Facciolla

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Que tal?


"Quando, de fato, os homens falam de Beleza, querem exprimir, precisamente, não uma qualidade, como se supõe, mas um efeito" - E. A. Poe - Poemas e Ensaio

Eu gostei!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Mais uma canção...


Mais uma canção
(Marcelo Camelo e R. Amarante)

Nada vai mudar entre nós
Como eu sei?
Eu só sei

Tudo vai permanecer igual
Afinal
Não há nada a fazer

Eu não nego
Eu me entrego
Você é meu grande amor
Hoje eu vou te dizer "eu te amo”

Eu imploro
Eu te adoro
Você tem meu coração
A bater pra você mais uma canção

Como pode alguém perder você
Como eu fiz
Como eu quis não te ter?

Vivo iludido
A acreditar que o amor
Não se pôs em você

Eu me entrego
Eu não nego
Eu errei, mas sou capaz
de fazer sua vida melhor

Tô voltando
Não sei quando
Pra roubar teu coração
Vou chegar no final de mais uma canção.



O ursinho, não tenho mais.
A música, não consigo escutar.
A lembrança...


*Foto daqui

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Confissões para Odete n˚ X


Salvador, 12 de abril de 2010

Ontem descobri o verdadeiro sentido da expressão "sem limite". E eu sou cheia de limites: não sei fazer poemas, não sei sentar-me ao chão com elegancia, não sei fazer ninguém sonhar o meu sonho nem comigo. Não sei flutuar sobre o palco. Não sei mostrar os meus limites sem me sentir tola.
Ontem descobri o verdadeiro sentido da palavra "magia".
Sem limites e mágico. Essas são as palavras que, pra mim, descrevem Edu.
Ontem, mesmo com a chuva que fazia lá fora, ele estava protegido sob as luzes do palco do meu coração a fazer mágica, a dançar, a recitar, a cantar, a sorrir e a se balançar em sua cadeira...

...de rodas!

*Foto daqui

quarta-feira, 31 de março de 2010

Tá rebocado se não for (II)

Confira aqui a melhor data pra vc ir!

Nos vemos lá!

*Foto: Alessandra Nohvais

segunda-feira, 22 de março de 2010

Mensagem na parede


Comece o dia fazendo uma limpeza
Varra de seu coração
A tristeza, a angustia, a aflição
Varra de sua vida
A inveja, a maledicência, a fofoca
Varra do seu corpo
A preguiça, o tédio, os maus pensamentos
Varra do seu caminho
O mau olhado, o mau agouro, o mau pressentimento
Deixe fluir a alegria da sua alma
Trabalhe seu corpo para o bem
Agradeça por seu trabalho
E, acima de tudo, comece seu dia com felicidade!
Muito obrigada por sua companhia em mais uma semana
Pois novos horizontes se aproximam
Novas conquistas e alegrias irão chegar
E temos que estar prontos para receber tudo isso!

Jeane – 10 de fev de 2010

(texto colado na parede da porta da sala de aula de uma escola municipal situada no meio do assentamento Mata do Sossego – Igrapiúna – BA)
* Foto de www.momentoscompartilhados.blogspot.com

quinta-feira, 18 de março de 2010

Vai entender...

Quem consegue traduzir isso?

"- Ninguém dá venço nesse mato"
"- O potroga passou aqui e nem mediu nada"
"- Vai ficar na escola mordendo boca"
"- O velho carrasquinho deixou passar"
"- Isso dá logo ingigição"
"- Esse assunto é porolidade"
"- Pessoal cheio de mudernagem"

Não entendeu? Xiii...

quinta-feira, 11 de março de 2010

Fotos de Minas

Ouro Preto - Museu da Inconfidência em frente à estátua de Tiradentes


Diamantina - Vista do alto


Belo Horizonte - Igreja de São Francisco de Assis - Pampulha


Conforme prometido!
(E depois de uma folguinha no bloqueio...)

quarta-feira, 10 de março de 2010

Bloqueada...

Sem internet (e sem outras coisas básicas como água!)e ainda bloqueada para quase tudo o que se possa acessar, estou sem condições de escrever no blog e de ler os dos e-amigos!
Restrita aos fins de semana em Salvador, bloquedada...

terça-feira, 2 de março de 2010

De volta!

Gente!
Como sair de férias é bom! Estava realmente muito precisada disso!
Folga de tudo!
Fiz uma viagem linda, conheci gente nova, cidade nova, olhares novos e ainda abocanhei coisa importantes para a profissão!
Acho que agora os deuses estão à meu favor!
Nada como renovar as forças!

Amei Minas Gerais! Volto o mais breve que conseguir!

Assim que der, mostro fotos!

sábado, 13 de fevereiro de 2010

De saída!


Hora de colocar os pés de molho. Férias!
Volto em março com energias renovadas e, espero, com novidades!
A todos que ficam no carnaval, boa festa. Aos que depois da quarta de cinzas voltam a labuta: coragem!
Espero vê-los todos assim que chegar das Minas Gerais!
A Maria Sampaio: Força! Morte aos caranguejos!!

* Foto: pés - por mim mesma.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Carta ao Amor Perdido

"E, mais uma vez, escrevo pelo motivo que bem sabe: me expresso bem melhor assim.
Não. Esta não vai ser mais uma prolongada conversa pra trocar frapas ou para acusar disso ou daquilo. Nem mesmo para desculpas pelo que quer que seja.
Em verdade, a idéia inicial, confesso, foi de descontar minha raiva, dizer um monte de coisas das quais, tenho certeza, me arrependeria. No entanto, prefiro não me arrepender pelo que vou dizer:
Não era bem isso que eu havia planejado pra nós, mas aconteceu. A vida também é feita de desencontros, desentendimentos e destemperos. Falhas, todos temos.
As minhas muitas palavras, ainda que privadas de serem proferidas, tornaram-se poucas linhas desengonçadas, mal escritas e molhadas de lágrimas neste papel (mesmo que não seja de fato papel).
As despedidas são sempre doloridas e esta não poderia ser diferente. Sei o quanto dói em mim e imagino o que possa doer em você.
Deixemos as armas de lado. Despida totalmente de rancor, (re)sentimento e mágoa, queria mesmo agradecer. Prefiro mil vezes pensar no que foi bom do que no que não importa mais. E é por isso que agradeço por todos os momentos juntos, por todo o aprendizado, por todo o carinho dedicado, por cada gesto de amor.
Amor este que ainda está aceso, eu sinto. Mas tem que sermos nós dois a alimentá-lo, ou ele se apagará. Na falta de um, a tendencia, com o passar do tempo, é de que ele, o amor, deixe de existir.
Então, despeço-me desta história e de você, tomando a liberdade de lhe chamar, pela ultima vez, de meu Amor..."


***

O que seriam dos recomeços se não fossem os finais?

***

Em tempo: a questão não é se mereço, ou não, coisa melhor e sim se mereço, ou não, você.



quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Só rindo

Para espantar o tédio e garantir uma risada.


video



A campanha é boa! Pena que não dá pra passar no Brasil. Ou vão dizer que são várias parceiras, apologia à promiscuidade, blá blá blá ...

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Sem comentários...

A comemoração do dia 01 para o dia 02 foi legal, o meu aniversário dia 02 foi uma bosta e hoje só consigo pensar que dias melhores TERÃO que vir! Ainda não consegui digerir o dia de ontem... Sem comentários...

Que Deus me dê muita saúde e paz...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Aniversariante

"Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas...




... E quem vem de outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso"



* Foto: www.spositostudio.com
* Música: Sampa - Caetano Veloso

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Das coisas incríveis que eu encontro - Final

Tudo bem, tudo bem... não é o final porque ainda espero encontrar outras tantas coisas incríveis, mas, como essas foram tiradas em função do projeto que se encerrou, lá vão os últimos registros...
Aos que pediram tanto, aviso: não consegui foto do Curupira, nem do Saci, apesar de ter tentado. O máximo que consegui foram alguns sinais de presença. Acho que são um tanto tímidos... Quem sabe um dia?!






*Fotos minhas - Lagarta; Tronco de Peito de Moça; Sapo; Serpente; Borboletinha - Jan/10










terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Explicando-me

Ufa... Finalmente um sinal de internet pra me explicar.
Sobre o post anterior, esclareço:
1) O "morto" foi querendo dizer "estou cansadíssima"
2) A "brincadeira" é o inventário, que por sinal é muito sério, mas que vai acabar, ou melhor, já acabou, a parte prática do mato. Enfim, a parte que mais cansa chegou ao fim...
3) O "cansei" foi justamente por isso que falei acima.
4) A contagem regressiva acaba amanhã, prazo para eu entregar o relatório final.
Pessoas!
Não! Eu não vou abandonar o blog! Essa é a minha válvula de escape e eu não tenho coragem de deixar meus e-amigos de lado! Sou dependente desta ferramenta!
Quando eu fico sem internet e sem me atualizar, fico angustiada, aflita!
Não! Não vou sair da fazenda... Não por agora, apesar de o cansaço me deixar bem desanimada e querendo ir pra casa! Mas ainda tenho que contribuir mais e ganhar melhor também! hehehehe...
Então... Estava com saudade daqui!
Espero não ficar mais tanto tempo sem voltar!
Beijos e abraços a todos os que se preocuparam, se solidarizaram ou se apiedaram do meu cansaço!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Morto x Vivo

Morto!


Vivo!!!

Vai acabar essa brincadeira... Cansei!

Contagem regressiva...


*Fotos: Edilson e Lu Malanski



quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

A raposa, o cachorro e o macaco



Era uma vez uma raposa que vivia pela floresta. Na tentativa de ludibriar o cachorro do caçador, sempre que ele entrava no mato, a raposa esperta corria em círculos. Sua tática era observada pelo macaco que, do alto, via tudo. Belo dia, o cachorro, já sabendo da malandragem da raposa, resolveu seguir firme em seu encalço. Latia pra cá e pra lá e chegava sempre muito perto da ponta do rabo da raposa. Vendo o seu desespero de fazer sempre o mesmo caminho, gritou o macaco:

- Corta a volta, amiga raposa!

- Não dá tempo! Não dá tempo! - Respondeu aos berros a raposa.


Moral da história: Sei lá qual é a moral, mas Edilson, o mateiro, conta muito melhor que eu e me faz dar risada pelo meio dos matos de saci! Ao menos o tempo passa ligeiro... E eu já chamo Edilson de "amiga raposa". Será por que?


*Foto de Armando Caldas - www.flickr.com