sábado, 29 de novembro de 2008

My Sweet Lord

video


Este show foi uma homenagem ao George Harrison, dois anos após a sua morte.
No violão, Eric Clapton, no outro, o filho de Harrison, no piano Paul McCartney, na 1ª bateria Ringo Star, na segunda Phill Collins, na guitarra Tom Petty, no órgão e vocal Billy Preston.

Ouça e curta!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Qual é a sua lista II

Faz um tempo que eu saí do orkut. Saí por pura falta de paciência...
Ao contrário de muitas pessoas que saíram por problemas com namorados, amigos, parentes e afins, eu saí simplesmente porque enchi o saco.
De qualquer forma, nunca foi uma coisa que me desse dor de cabeça. Ao contrário. Fiz bom uso do recurso e me diverti bastante.
Lá - para os que não conhecem - a gente monta um perfil do jeito que a gente quer. A grande maioria é sincera. Alguns enganam em coisas bobas como "tipo físico magro" mesmo estando com quilos à mais. Outros, e aí eu me encaixo, usavam pra brincar.
Dentre a infinidade de informação que você preenche se quiser - e eu sempre preenchi todos os itens, o mais especial pra mim era um que aparecia lá na sua parte "pessoal" e que dizia "cinco coisas sem as quais não consigo viver".
Eis a minha única resposta constante, imutável:
1) água;
2) chocolate;
3) animais;
4) cama;
5) anti-alérgicos.

Não necessariamente nesta ordem, lógico!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Encontramos seu cão!

Hoje o post é AQUI
E obrigada pela visita...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Paixonite II

Andam dizendo que me tornei uma tia babona...
Devem ter razão...

É ou não é pra babar com uma carinha dessas?!


segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Free Hugs

video

Se eu aparecer com uma plaquinha dessas,

E se você passar por mim,

Por favor, faça!

Pode ser por qualquer motivo;

Estarei precisando...

sábado, 15 de novembro de 2008

A Preta II

Hoje, agora cedinho, a Preta não aguentou mais...
Resistiu à primeira parada, mas à segunda, não deu.

À minha Fanny.

A Preta*

Não. Ela não está legal...
Nem eu.
Outra crise.
Novamente soro.
Não. Ela não está bem...
Nem eu.
* Referente ao post anterior.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Para minha Companheira*

"De vez em quando escuto alguém me dizer:
- Pára com isso! é apenas um cão!!
Ou então:
- Mas é muito dinheiro para se gastar com ele! Ele é apenas um cão!
Essas pessoas não sabem do caminho percorrido, do tempo gasto ou dos custos que significam “apenas um cão”.
Muitos dos meus melhores momentos me foram trazidos por “apenas um cão”.
Por muitas horas em minha vida, minha única companhia era “apenas um cão”. E eu não me senti desprezado.
Muitas das minhas tristezas foram amenizadas por “apenas um cão”.
E naquele dias sombrios, o toque gentil de “apenas um cão” me deu conforto e motivo para seguir em frente.
E se você também é daqueles que pensam que ele é “apenas um cão”, com certeza deve entender bem expressões como “apenas um amigo” ou “apenas um nascer de sol”, “apenas uma promessa”...
“Apenas um cão” deu a minha vida a verdadeira essência da amizade, da confiança, da pura e irrestrita felicidade.
“Apenas um cão” faz aflorar a compaixão e paciência que fazem de mim uma pessoa melhor.
Por causa de “apenas um cão”, eu me levanto cedo, faço caminhadas e olho com mais amor para o futuro.
Porque pra mim, e pras pessoas que como eu, não se trata de “apenas um cão”, mas da incorporação de todos os sonhos e esperanças do futuro, das lembranças afetuosas do passado, da pura felicidade do momento presente.
“Apenas um cão” faz brotar o que há de bom em mim e dissolve meus pensamentos e as preocupações do meu dia.
Eu espero que, algum dia, as pessoas entendam que não é “apenas um cão”, mas aquilo que me torna mais humano e me permite não ser “apenas um homem”.
Então, da próxima vez que você escutar a frase “é apenas um cão”, apenas sorria para estas pessoas porque elas apenas não entendem..."





*Homenagem a minha Fanny que está a 14 dos seus 15 anos de vida aqui em casa e que agora, na sua velhice, mostra pra mim o quanto é importate e o quanto eu vou sentir sua falta depois de sua partida. Esteve internada 2 dias tomando soro, em substituição à hemodiálise dos humanos e provavelmente fará isto até o fim de seus dias em momentos cada vez menos espaçados.


Que não haja sofrimento, principalmente para ela...

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Latejante


Enlouquecida de dor...
Alguém tem morfina injetável?
Preciso de uma dose na moleira...
Ok, ok. Já sei que não tenho mais moleira.
Pode ser nas têmporas mesmo.
Contanto que seja morfina...
Ou que a dor passe!
*Foto retirada daqui

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Fora do ar


Estou completamente desatualizada e perdida feito cego em tiroteio. Fiz o login do meu blog, vi que tem vários textos novos da turma que eu acompanho e percebi que estou sem saber de nada. Mas há uma justificativa.

Não é segredo pra ninguém que sou da noite. Prefiro a noite. Vivo feliz da minha vida trocando a noite pelo dia. Não o dia inteiro, lógico, mas troco a manhã pela noite. Explico: me adaptei com a vida noturna nos tempos de faculdade. Usava o silêncio da noite para realizar as milhares de coisas que eu tinha que fazer. À noite me concentro mais, me inspiro mais... É menos quente, menos poluído... O cara da pamonha, do gás, do jornal, do camarão, das verduras, as escolas da região (graças a Deus uma delas não existe mais), a escola de Ballet (apesar de eu gostar da música), só fazem barulho durante o dia. À noite calam-se todos. Dificilmente um latido ou o ruído de pneus cantantes na avenida. Raramente um bebê chorando. Quase nunca senhores(as) tossindo. Até as festas nas redondezas nunca duram até a madrugada...

O horário que escolhi para dormir também é ótimo, silêncio sepulcral: 4:30. Nem claro, nem escuro. Não há mais nada acontecendo. Já estão todos em suas casa e eu posso dormir tranquila. Durmo as mesmas 8 horas que todos deveríamos dormir; acordo às 12:30. Há dias que mais tarde, outros, que mais cedo. E acordo descansada, satisfeita.

Segue-se à luz do sol uma tarde agitada. Muitos afazeres: almoçar, ver os horários de bancos e lotéricas para pagar as contas, aulas particulares e de natação, agito, agito, agito... Sem a luz do sol, vou jantar, ver House, internet, escrever, internet, ler... Madrugada: lanche, ler, estudar, estudar, ler ou às vezes ver um bom filme. Vai chegando a hora e o sono vem pontual.

Esses dias (quinta e sexta) dei um help para minha amiga Ju Rabinovitz no evento (Closet - da foto aí do lado) que ela e as meninas da Andromeda organizaram para expor os seus produtos (roupas e acessórios). Como o evento começava às 18 hrs., ficou difícil manter a rotina. Por esse motivo, fiquei esses dias sem internet e, como nos fins de semana tenho tentado evitar o notebook, estou mesmo desatualizada, perdida...

Aos poucos vou me colocando a par dos eventos daqui. Visitar meus amigos de Blog (Bernardo, Maria, Janaína, Aeronauta, Personagem, Edu, Lu, Lua, Paulinha...) e saber das últimas.

Prometo usar minhas madrugadas para manter o meu blog e manter minhas visitas que eu amo.

Prometo não ficar mais fora do ar.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Coisinhas que dão Saudade VI


Diálogo entre minha avó paterna e eu na minha festa de 2 anos de idade:

Vó Linda: - Você mora aqui ó! - pondo as mãos do lado esquerdo do peito.
Luli: - Tá maluca, é?!
  • Foto do dia 30 de junho de 1945 - casamento da minha avó

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Amigos, amigos, cromossomos à parte!

Uma homenagem às amizades cultivadas ao longo da vida.
Este é um exemplo de amizade pura, singela e sem preconceitos.



Amigos não contam cromossomos!*

*Slogan da CaminhaDown realizada no Rio de Janeiro.

sábado, 1 de novembro de 2008

Alguém me disse...

Estou numa fase em que escuto World Music e, um dos meus achados é essa musiquinha linda.
Com vocês, o "clip" de Quelqu'un M'a Dit, por Carla Bruni.



Pra cantar junto com o clip!

On me dit que nos vies ne valent pas grand chose,
Elles passent en un instant comme fanent les roses.
On me dit que le temps qui glisse est un salaud
Que de nos chagrins il s'en fait des manteaux

Pourtant quelqu'un m'a dit
Que tu m'aimais encore,
C'est quelqu'un qui m'a dit que tu m'aimais encore.
Serait ce possible alors ?

On dit que le destin se moque bien de nous
Qu'il ne nous donne rien et qu'il nous promet tout
Parait qu'le bonheur est à portée de main,
Alors on tend la main et on se retrouve fou

Au refrain

Mais qui est ce qui m'a dit que toujours tu m'aimais?
Je ne me souviens plus c'était tard dans la nuit,
J'entend encore la voix, mais je ne vois plus les traits
"il vous aime, c'est secret, lui dites pas que j'vous l'ai dit"

Tu vois quelqu'un m'a dit
Que tu m'aimais encore, me l'a t'on vraiment dit...
Que tu m'aimais encore...
Serais ce possible alors ?

On me dit que nos vies ne valent pas grand chose,
Elles passent en un instant comme fanent les roses
On me dit que le temps qui glisse est un salaud
Que de nos tristesses il s'en fait des manteaux,

Au refrain
____________________________

Pra quem não entende lhufas de francês, segue a tradução!

Disseram-me que as nossas vidas não valem grande coisa,
Elas passam em instantes como murcham as rosas.
Disseram-me que o tempo que desliza é um bastardo
Que das nossas tristezas ele faz suas cobertas

No entanto alguém me disse...
Que você ainda me ama,
Foi alguém que me disse que você ainda me ama
Seria isto possível então?

Disseram-me que o destino debocha de nós
Que não nos dá nada e nos promete tudo
Faz parecer que a felicidade está ao alcance das mãos,
Então a gente estende a mão e se descobre louco

Refrão

Mas quem me disse que você me ama ainda?
Eu não recordo mais, já era tarde da noite,
Eu ainda ouço a voz, mas eu não vejo mais seus traços
"ele ama você, isso é segredo, não lhe diga que eu disse a você "

Sabe, alguém me disse...
Que você ainda me ama,
Disseram-me isso realmente...
Que você ainda me ama,
Seria isto possível então?

Disseram-me que as nossas vidas não valem grande coisa,
Elas passam em instantes como murcham as rosas.
Disseram-me que o tempo que se vai é um bastardo
Que das nossas tristezas ele faz a sua coberta

Refrão
___________________________