terça-feira, 22 de junho de 2010

O sonho, a mensagem de Maria

Essa noite sonhei que estava em uma escola, participando de algum evento multidisciplinar. Muitas atividades e dinâmicas que deixaram um clima gostoso entre todos que participavam do evento. Ao final, saímos da sala todos juntos e, qual não foi minha surpresa quando EU, e somente eu, vi Maria Sampaio a me esperar na passagem. Estava de branco, óculos engraçados, cabelos curtos que formavam pequenas ondas entre fios brancos e castanhos-avermelhados. Sorriu, deu uma piscadela e acenou um "legal", como se desse notícia. Na mão, segurava um fio de nylon e eu, mesmo seguindo o fluxo dos colegas, fui acompanhando com o olhar até onde ia aquele fio. Lá no alto, na ponta, tinha uma pipa laranja (ou seria um balão de São João?!) com diversos objetos pendurados: uma pulseira de acrílico de casco de tartaruga, um chaveiro de bolinhas roxas, um controle remoto, uma tampa de lente de máquina fotográfica, uma tiara de cabelo dourada, chaves soltas e alguns anéis de prata e ouro. Fui vendo tudo e antes de ela sumir sorrindo, reparei que usava as meias coloridas. Sorri de volta. Acordei com lágrimas nos olhos...
Alguém reconhece esses objetos? Se reconhecerem aviso: estão lá na pipa de Maria!

5 comentários:

aeronauta disse...

Meu Deus, que sonho lindo e sugestivo! Que saudades de Maria!(Adorei a maneira como você narrou)

Bernardo Guimarães disse...

o sonho é a cara dela; os badulaques tambem.

Chorik disse...

Sonho muito lindo, repleto de significados. Não descartaria um real encontro, embora seja cedo. No sono, o espírito fica semiliberto do corpo, continua ativo. Nosso cérebro, entretanto, não consegue guardar toda a informacao, por essa razão temos imagens fragmentadas, cheia de símbolos, misturadas à fantasia do subconsciente que em boa parte das vezes nos deixa o maior resíduo quando despertamos.

Edu O. disse...

Minha amiga, vc arrasou no sonho, nas imagens lindas que descreveu, adorei isso. me deixou tão feliz. Mande um legal para Maria qdo ela voltar.

Gerana Damulakis disse...

Lindo sonho e nem as meias faltaram. Deu para matar a saudade, não foi?
Como Maria ficou em todos nós!