segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Lá e cá...

No começo era um chororô só. Dava uma angústia saber que só o veria dali a um mês ou mais. Hoje, já não choro mais (às vezes choro sim!), mas a angústia ainda é igualzinha...
Em minha casa sempre foi assim, "como manda o figurino": pai, mãe, Renato, eu e Mauro (nesta ordem!), cães e gato.
Pai lá, nós cá... Geograficamente separados e... Tudo bem!
Latitudes e longitudes à parte, afora a rosa-dos-ventos, se SAUDADE tivesse outro nome, esse seria o seu, meu PAI!


Queria ter escrito sob forma de soneto, mas não sou muita boa de rimas e nem sei se conseguiria escrever de outro jeito...

4 comentários:

Personagem Principal disse...

Ai, o meu também! Dói, né? Mas procuro não pensar. Anestesia um pouco. Beijocas. ;)

ediney disse...

saudade...saudade...tempo de muita saudade...tempo de secre novamente gostando, a gostar e depois mais saudade...

Renata Belmonte disse...

É duro mesmo... Eu bem sei.
Bjs

Menina da Ilha disse...

Também sei o que é isso. Na minha casa vivíamos minha mãe, meu pai, Nauta e eu. Meu pai se foi para sempre, minha irmã foi para outra cidade e eu me casei. Minha mãe ficou com a pior parte: conviver naquela casa desabitada. Que bom que você pode matar a saudade. E
que bom que gostou do meu blog. Bjos.