quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Despedida!


Blim-blom...
- Quem é? Ah, não! Você de novo?
- É...
- O que foi dessa vez? Ainda não se satisfez , de ficar aqui, com os pés em cima do sofá, nem com minhas noites mal dormidas, minhas lágrimas e o meu olhar opaco perdido no nada?!
- Não é isso... Vim me despedir...
- Jura? Pode ir! Porta da rua, serventia da casa!
- Vou sentir sua falta...
- Eu não! E não volte em breve! Adeus Tristeza!

Blim-blom...
-Esqueceu o que?
- An?!
- Desculpa... Pensei que fosse outra pessoa... Você, quem é?
- Felicidade. É um prazer!
- O prazer e meu! Entre! Quer tirar os sapatos? Aceita um chocolate quente? Fique à vontade! A casa é sua...

4 comentários:

Renata Belmonte disse...

Luli,
Ainda bem que tenho vc como testemunha! O que foi aquilo?
Bjs

Bernardo Guimarães disse...

Ah, se fosse assim!...

Antonio Sávio disse...

Nossa. Linda prosa, de um só suspiro.

Mãe de Iara disse...

Lindo,lindo,lindo.. deixo a felicidade entrar e se ela estiver acompanhada de um moreno,alto,bonito e sensual me faço de tapete vermelho !!! saudades