sábado, 25 de abril de 2009

Carta à Amiga I


Amiga,

Já ouviu falar em saudade? Outro dia li que saudade é o amor que fica. Lembrei de você, que ficou com meu amor e me deixou saudade. Estamos longe neste momento, não é mesmo? Mas as distâncias não tem limites nos nossos pensamentos e nem nos nossos corações e, em instantes chego aí perto, te dou um abraço, um beijo doce na testa... Pego sua pequena filha no colo, mais um beijo e o cheiro de ternura fica no ar...
É, Biga, já temos um tempo bom de história, não é mesmo? Muitas coisas vividas, muitas risadas, tantas lágrimas... Segredos lacrados entre eu e você, coisas que mais ninguém sabe, ou que só as bigas conhecem!
Saudade do nosso quarteto que fazia o professor arregalar os olhos e se arrepiar e, indefectivelmente, lançar um "meu Deus do céu! Lá vem...", só de pensar no nosso grupo em sala de aula!

Final de semana no interior, pizza depois da aula (Pizza Hut CornBacon), noitadas de violão e vinho, carnaval e xixi na portaria do prédio! Tempos que não voltam e que deixaram em mim um gosto infinito de nostalgia!

O mundo e suas voltas me trouxeram pra perto, mas, mais uma vez, não nos permite tantos encontros como no passado. Os trabalhos, as responsabilidades nos chamam pra uma realidade dura e cruel.

Sim, aqueles tempos foram os melhores da minha vida!

Só queria que soubesse que continuo sendo a mesma bobalhona, risonha e "filhadaputa" de sempre. E que continuo do seu lado, seja lá o que você resolver fazer. E ainda puxo a orelha, se for preciso!


Amo nossa história. E amo você, Biga Mai.


Com carinho,


Biga Luli

*Foto de: www.flickr.com

2 comentários:

Mãe de Iara disse...

Filadaputa !!

Lindo, lindo, lindo !!
Sim, muitas saudades daquele tempo !! Outros melhores virão pq estaremos para sempre juntas !! Nesta vida e até depois dela !!

Bjs meus e de Iara

Chorik disse...

Eu me senti meio intruso lendo a carta, tão íntima, tão verdadeira e bonita. Mais intruso ainda comentando, mas hoje acordei tagarela, quase um pavão.