terça-feira, 10 de março de 2009

Notícias do Interior II

O Barracão IV

Conta Seu Joaquim que havia alguns barracões espalhados na fazenda para alojar os funcionários da AGRISA* durante o tempo em que eles estavam trabalhando na abertura das nossas estradas internas. Barracões estes que eram usados como abrigo para eles, para as ferramentas e para o descanso já que tudo é muito longe por aqui e por vezes os homens dormiam por lá.

"Mas, hômi que é hômi, é hômi mesmo!" - Disse o velho Quinca.

Reza a história que, certa noite, um dos funcionários tentou um relacionamento intimo com um outro.
Ameaçou espalhar pela fazenda que o outro, mesmo sem dar, era "viado".
O molestado não disse nada. Esperou o sujeito debruçar na janela, foi lá pra dentro do barracão, voltou com um machado e, num golpe só, acertou a nuca do seu ofensor...

"E então, Seu Joaquim, a cabeça do cara saiu rolando?" - eu perguntei

"Não, minha filha... Ficou pendurada pelo couro!"

Hoje o barracão só existe no nome de batismo de uma das tantas nascentes de rio da fazenda...



* AGRISA: Nome antigo dado à Vale do Juliana Fazendas Reunidas, e conhecida assim pelos velhos moradores daqui, do interior.

** Foto do meu celular: Nascente Barracão IV

3 comentários:

Marcus Gusmão disse...

Acho que este sujeito levou às últimas consequências o conselho de um avô de um conhecido meu: - Meu filho, nunca dê a bunda. Não conheci um que tenha dado e que não tenha gostado.

Chorik disse...

Pensei que ia relatar algo à la O Segredo de Brokeback Mountain ou, no caso, O Segredo do Barracão IV... rs

Edu O. disse...

Que "causo" bom!!!!