quarta-feira, 8 de julho de 2009

Baixo Astral

Não! Não quero nada de nada!
Me sinto miúda, mixuruca, pequena!
Não! Não sei nada de nada!
Não mereço, sei quem sou, não tenho pena
Está vazio, está sem gosto, está sem sal!
Está chovendo nos olhos, no peito e no quintal.

Acho que é tudo
Estou sem saco pro mundo...
Cansei de pensar
Mas vou viver pra contar!




*Foto daqui.

8 comentários:

Lidi disse...

Às vezes, ficamos sem saco pro mundo mesmo, mas é bom viver pra contar. Um beijo, Luli.

maria guimarães sampaio disse...

ê Luli, você nem se parece com este título, nem com o poema.

Jribeiro disse...

Ôxi, não tô acreditando no que li! é vc mesma?

Lua Oliva disse...

"Pare o Mundo que eu quero descer..."

tempos depois...

"Moço... e na montanha russa de novo...posso entrar?"

:)

Um beijo, minha Flor!

Chorik disse...

Se for ficção gostei. Se não for, já passou. Se não passou passará. Quando passar, voltarei a gostar. Até lá, estarei cá, sempre às ordens. Enquanto isso, fico a admirar esse sorriso bonito da foto nova, sendo tatuada. Bj

Bernardo Guimarães disse...

é vc mesma? du-vi-do!

Paula disse...

Eu costumo sair do baixo astral tomando um chopinho gelado com os amigos...

Bom, sai de casa, arruma o cabelo e se joga, querida! O mundo é cruel, mas é delicioso... ;)

Beijão

Edu O. disse...

Ohhh Luli, só pra dizer que passei aqui. Quando estou assim não gosto de ouvir nada. por isso não te digo. Beijo bem carinhoso e só.

Adoro me dar o direito de ter baixo astral e me retar!!!